Delírio - Lauren Oliver

15:21

SINOPSE:

Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?.

E EU SÓ CONSIGO PENSAR EM UMA COISA: ISSO VAI ME MATAR. ISSO VAI ME MATAR. ISSO VAI ME MATAR E EU NÃO ME IMPORTO.



Delírio. Delírio. Delírio, essa linda palavra resume tudo, pelo menos o meu estado quando terminei de ler... Delírio. Primeiro eu achei que seria apenas mais um livro, mas ao mesmo tempo resolvi da uma chance, afinal é um assunto nunca escrito – ou que pelo menos nunca li.

Não sei por onde começar...

O governo descobriu que o amor é uma doença, então todos os cidadãos ao chegar aos 18 anos passam por um tipo de intervenção que tem como objetivo arrancar a doença desta pessoa, quer dizer, arrancar o amor – Amor Deliria Nervosa -, tornando estas pessoas livres de todo o mal, das armadilhas do amor. Livre de toda a sensação boa/ruim que o amor nos causa. Ou seja – pra mim -, elas se tornam pessoas frias e calculistas. Diabólicas.

Ponto. É ai que Lena Haloway entra – a minha amada Lena. Ela não ver a hora de ter a doença fora do seu corpo, não ver a hora de se sentir pura. Ela conta os dias para que isso aconteça, principalmente por estar sempre a mercê dos olhares alheios, afinal Lena é filha da mulher que passou por três intervenções – três curas – e nunca foi curada. Eles nunca conseguiram tirar o amor dela. Então, como ela não quis passar por uma quarta intervenção a mãe de Lena preferiu morrer, deixando suas filhas aos cuidados da sua irmã.

Lena tem como melhor amiga a Hana – sim, isso que é amizade – e agora, a única coisa que ambas tem medo quando o assunto é a cura, é que a amizade delas não seja mais a mesma. E não será. Elas não passarão de apenas conhecidas e na verdade isso não importa tanto assim por que elas estarão curada. É o que importa. 

Vou pegar um atalho.

Então quando Lena vai fazer o seu primeiro teste acontece um imprevisto e os testes (não da pra explicar isso aqui) são cancelados. É nesse meio tempo, entre o teste cancelado e a nova data para intervenção é que Lena se sente atraída pelo Alex. No começo ela não sabe bem o que é tudo aquilo, mas logo ela percebe que é amor. Sempre é o amor. A grande questão é que, nem tudo o que o Governo diz é verdade. O amor pode matar, mas também pode salvar. E é no meio dessa paixão louca e delirante que Lena começa a desvendar mistérios que rodam a sua vida.

Assim é um livro MARAVILHOSO, não tem muito que falar, só lendo mesmo! De repente eu já não conseguia mais parar de ler. Lauren conseguiu escrever uma Lena em que é insubvequivel não se apaixonar por ela, não mergulhar naquele drama, nessa historia maluca que conseguiu me hipnotizar literalmente, principalmente as ultimas páginas. Quando terminei de ler fiquei me perguntando como eu iria conseguir passar o resto dos meus dias sem saber o que aconteceu depois (?) e isso é o problema das series, mas não vamos entrar em enfoque aqui. Voltando ao assunto final, quando terminei de ler só consegui pensar em uma palavra: G.E.N.I.A.L.

Vamos lá pessoas, esqueçam todos os livros que vocês estão lendo, a principio pode parecer um livro besta, só mais um romance. E não é. É romântico sem ser romântico, é brutal sem ser brutal, é surreal sem ser surreal, é delirante sem ser delirante... STOP!

A verdade é que a Lauren escreveu algo fantástico e eu passaria o dia falando e só me resta aguardar Pandemônio. Esperar por uma Lena curada ou não curada. Com ou sem amor.

E a grande questão: e se fosse verdade? E se o amor fosse uma doença? Você iria querer ser curado? Você morreria pelo amor?

You Might Also Like

2 comentários

  1. Eu acredito que me curaria, conheço o amor e sei que é possível viver sem ele, mas com a pessoa amada. Difícil mesmo é viver com o amor e sem a pessoa amada...
    Excelente resenha!

    ResponderExcluir
  2. Delírio é um livro que eu sou curiosíssima para ler, sempre tem alguém falando bem dele!
    Amor ser uma doença? É tão diferente, eu achei pelo menos...
    O ruim das séries é isso mesmo, deixar a gente desesperado pelo continuação! rs'

    Beijos
    Geê - almaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images