Firelight - Sophie Jordan

13:23

Sinopse:
A jovem Jacinda é especial. Além de pertencer a uma espécie descendente de dragões cuja maior habilidade é poder alternar entre a forma humana e a animal - os draki -, ela é uma das únicas de seu clã que consegue cuspir fogo. Quando uma atitude rebelde ameaça a existência dos outros membros de sua comunidade, ela e sua família têm que fugir e viver disfarçadas entre os humanos. Na nova escola, Jacinda precisará esconder seu segredo de todos e aprender a controlar seu espírito draki, que teima em se manifestar logo na presença do belo e charmoso Will, um caçador de dragões. Os dois se apaixonam e irão fazer de tudo para que os muitos segredos e diferenças que os separam não os impeçam de viver esse amor.
◘◘◘
Não tentei ser exatamente o que mamãe e Tamra queriam. Lutei contra isso - contra elas - a todo momento. Recusei-me a abandonar o meu draki quando teria sido mais seguro para todos nós que eu o fizesse. Talvez isso me torne egoísta.
Okay. Devo começar essa resenha dizendo que estou completamente apaixonado por Jacida? Que o livro me levou a uma coisa nova, tirou o travesseiro que me sufocava após vampiros, anjos e lobos? E mesmo que - às vezes - o livro me lembrasse de certa historia - o garoto rico, que não dá a mínima para as garotas do colégio até surgir uma de rosto bonitinho mais sem graça - eu simplesmente consegui amar o mundo que a Sophie Jordan criou e estou aguardando ansiosamente por Vanish.
Jacinda é uma Draki - descendente de dragões que com o passar do tempo conseguiu uma grande proeza: se transformar em humanos. Os Drakis vivem escondidos em aldeias e divididos por clãs. Jacinda leva uma vida normal na vila, e o que mais adora fazer é se transformar em dragão e voar até o céu, coisa essa que só é permitido à noite. Prometida para Cassian - o próximo alfa - por ser a única cuspidora de fogo após décadas, Jacida vive em conflitos internos desde que pusera os olhos em Will, e nesse dia em diante é que as coisas tomam um novo rumo na vida de Jacinda e ela é obrigada fugir da aldeia com a sua mãe e sua irmã gêmea, Tamra. Poucos sabem da existência dos dragões e ninguém sabe do segredos em que eles carregam. Até a presa se apaixonar pelo predador e vice-versa. Em um mundo diferente do habitual, Jacinda tem de lutar a todo o tempo para não deixar que o seu Draki venha morrer.
Tudo bem, mesmo amando a personagem eu tinha raiva dela, por que eu nunca vi uma personagem tão indecisa. Ela pensa uma coisa, promete esquecer e de repente, quando vira a pagina ela já está fazendo tudo de novo. Pensando tudo de novo, a mesma coisa. Eu adorei a narrativa em primeira pessoa, o que nos leva a sentir todos os medos e anseios de Jacinda. Confesso que eu ainda não tenho uma imagem certa da transformação de humano para dragão, por que tem hora que você sabe que é ela dragão e mesmo assim a ela age como se estivesse humana, não sei explicar, é estranho e o único ponto negativo do qual deveria ser bem mais explorado.
Quanto Tamra, no inicio eu não gostava muito dela, achava-a super chata. Mas eu não posso criticar as suas atitudes, afinal ela não conseguiu se transformar em dragão, ela é uma Draki falecida e ela é obrigada a ver a sua irmã ter tudo e ela nada. No meio do livro eu já me via perdido e de repente comecei a favorecer Tamra. Eu ainda não consegui sacar a o "lance" da mãe de Jacida, espero entende-la no próximo volume.
Por fim só tenho de salientar que adorei, é um outro mundo cheio de suspense, ação, aventura e com a sua pitada mamão-com-açúcar que não desfavorece quando você se sente preso naquele mundo de dragões. Vale a pena se lido!

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images