Resenha: Morte e Vida Charlie St. Cloud

16:07

SINOPSE:
Um coração dividido entre dois mundos. Em uma pacata vila de pescadores da Nova Inglaterra, Charlie St. Cloud cuida dos gramados e monumentos de um antigo cemitério onde seu irmão mais jovem, Sam, está enterrado. Após sobreviver ao acidente de carro que tirou a vida de seu irmão, Charlie recebe um dom extraordinário: ele consegue enxergar, conversar e até mesmo brincar com o espírito de Sam. É neste mundo místico que entra Tess Carroll, uma cativante mulher treinando para navegar sozinha ao redor do mundo em um veleiro. O destino faz com que seu barco seja apanhado por uma violenta tempestade, trazendo-a assim para a vida de Charlie. Sua bela e incomum ligação os leva a uma corrida contra o tempo e a uma escolha entre a vida e a morte, entre o passado e o futuro, entre apegar-se ou deixar o passado para trás – e a descoberta que milagres podem acontecer se nós simplesmente abrirmos nossos corações.

RESENHA:
Morte e vida de Charlie St. Cloud é um livro feito para aqueles que adoram se emocionar com uma boa história, sem falar que ele te faz de certa forma amar o seu irmão da mesma maneira do livro – comigo isso só funcionou um pouco.
Tudo bem que o começo do livro não é muito chamativo – quase entediante, mas isso não levará a ninguém a abandoná-lo -, mas os primeiros capítulos é importante para entender a história.
O livro aborda os laços de amor entre dois irmãos, Charlie – um garoto com um futuro brilhante pela frente - e Sam – um garoto que adorava beisebol. Os dois irmãos são inseparáveis, e a amizade deles é tão intensa que se exagerar estraga.
Certa noite, quando a mãe vai trabalhar, acaba que deixando Sam sobre os cuidados Charlie - o que não foi uma ideia tão genial, já que Charlie resolve levar seu irmão para assistir a final do jogo do Red Sox, sem esquecer-se de que Charlie rouba o carro da vizinha para ir assistir o tal jogo.
Só que na volta para casa um acidente de carro muda o destino de Charlie e Sam que ficam entre a vida e a morte. Ainda a deriva Charlie sonha prometendo ao irmão que jamais abandonaria o irmão..., e num milagre Charlie sobrevive e o irmão acaba falecendo.
Treze anos depois, ainda não aceitando a morte do irmão Charlie vive num cemitério para se sentir perto do irmão, por que após ser reanimado ele recebe o dom de falar com os mortos. Durante treze anos, sob chuva ou sol, depois do pôr-do-sol, Charlie vai ao encontro do irmão na clareira do cemitério para jogar beisebol. E a vida de Charlie acaba que se tornado a mesma todos os dias: zelar pelo cemitério, espantar os gansos e todo fim do dia jogar beisebol com o seu irmão morto.
É ai que entra Tess, uma veleira que estava pronta para velejar ao redor do mundo, só que o seu barco acaba que sendo apanhando por uma tempestade. Num dia qualquer Tess vai reclamar com Charlie sobre o túmulo de seu pai. Depois disso uma amizade surge entre os dois que acabam se apaixonando um pelo outro – embora o amor de Tess e Charlie não tenha sido totalmente explorado.
Charlie se sente dividido entre Sam e Tess, só que assim como no livro sempre nascemos por uma causa maior e é nesse ponto que o leitor se sente desesperado para saber que fim levará “Morte e a vida de Charlie St. Cloud”.

You Might Also Like

1 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images